Vem pra Domus!

MATRÍCULAS 2022

O Colégio Domus está sempre de portas abertas para quem procura ensino forte, dinâmico, moderno e ao mesmo tempo acolhedor. Somos o único colégio da região que utiliza o Sistema de Ensino Etapa, reconhecido pelo alto índice de aprovação nas principais faculdades do Brasil e por utilizar métodos inovadores baseados em estudos científicos e experiência de mais de 30 anos de mercado.

Venha conhecer o Colégio Domus, você irá se surpreender.

Promover a mudança comportamental em educadores, crianças e adolescentes para que desenvolvam as competências socioemocionais necessárias aos desafios deste século e tornem-se protagonistas de suas próprias vidas e da transformação da sociedade.

Com os olhos no futuro, os Colégios Domus Sapiens e Abelhinha introduziram o programa de educação bilingue English Stars, a partir do Maternal! Nosso principal objetivo é oferecer aos alunos um programa bem estruturado e flexível, capaz de habilitá-los a crescer em uma sociedade global, auxiliando de forma significativa no seu desenvolvimento acadêmico e profissional.

A Inteligência Emocional, ferramenta que ajuda a entender e lidar melhor com suas emoções, pode muito bem ser desenvolvida desde cedo, por meio da educação na escola e no próprio seio familiar. A partir de 2020, implantaremos aula de inteligência emocional na grade curricular, com o objetivo de estimular a Inteligência Emocional dos nossos alunos e contribuir para que levem uma vida mais feliz e equilibrada.

Primeiramente, não se deve confundir a Inteligência Emocional com a autoajuda, já que seu foco não é simplesmente o pensamento positivo. Trata-se, na verdade, de um exercício de compreensão dos sentimentos negativos e da formação de um repertório para lidar o mais adequadamente possível com eles. Portanto, o estímulo à Inteligência Emocional desde cedo tem um papel importante na criação do indivíduo, encorajando nossos alunos a lidar com seus sentimentos de forma construtiva.

É importante, entender que o conceito de Inteligência Emocional não é centrado na mensuração da inteligência em si, mas sim em sua otimização por meio da educação para as emoções. Por isso, essa inteligência deve ser encarada como uma construção permanente. Por mais que se origine no seio familiar, a partir da maneira como as crianças e os adolescentes se relacionam com seus entes e os veem se relacionarem uns com outros, ela ainda assim deve ser reforçada e trabalhada em outros espaços, dessa vez não domésticos, onde as crianças aprendem a lidar umas com as outras e também com formas de hierarquia diferentes.

Hoje em dia, o modelo de educação que temos, foca muito mais em conteúdos a serem estudados do que na socialização dos alunos, ou seja, a forma da qual eles se relacionam afetiva e profissionalmente. Por isso, a escola tende a formar os alunos em profissionais excelentes, do ponto de vista técnico, mas que encontram certas dificuldades para se colocar no mercado de trabalho, até mesmo experimentando conflitos em diferentes relacionamentos. E é aí que o Colégio Domus Sapiens fará a diferença. Com a implantação da aula de inteligência emocional, o Colégio exercerá um papel ativo na formação das crianças e dos jovens, pois o desenvolvimento emocional é um processo de construção altamente influenciado pelo meio.

Durante o processo, a função do professor é absolutamente fundamental, usando sua sensibilidade para transpor as barreiras do seu próprio conhecimento e da sua prática em sala de aula para abrir espaço para o debate e para a educação emocional. Isso pressupõe que o profissional seja mais do que um vetor de conhecimentos, passando a atuar com a intenção de realmente preparar os alunos a serem conscientes e responsáveis em sua forma de sentir, de pensar e de agir.Reconhecendo as emoções das pessoas ao seu redor, nosso professor criará uma interação equilibrada a partir de sentimentos como alegria, tristeza, medo, raiva ou até vergonha. Fazer isso inclusive potencializa a capacidade de aprendizado de conteúdos, pois permite que cada um entenda e desafie os limites de seus estudos e os obstáculos que encontra tanto para aprender o conteúdo quanto para se relacionar com a família.

Incluir socialmente é trabalhar e defender a acessibilidade, para que as pessoas possam transitar, comunicar-se e viver numa sociedade que respeite o direito de todos os cidadãos.

O Colégio Domus Sapiens faz parte desse trabalho para a inclusão social com aulas de Libras no Ensino Fundamental até o 5º ano. O ensino de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) para crianças ouvintes possui o poder de gerar interação entre elas, além de estimular habilidades cognitivas provenientes dos estímulos que o bilinguismo proporciona ao cérebro.

Por se tratar de uma língua visual, o ensino de Libras desenvolve também as capacidades de atenção, concentração e expressão corporal. Além disso, é possível aumentar a sensibilidade dos pequenos, ensinando sobre o respeito às diferenças e o uso das linguagens em diferentes contextos.

O mais importante é compreender que, ao crescerem conscientes e desenvolvidos, esses futuros adultos serão agentes transformadores de comportamentos na sociedade e essa ação fará toda a diferença para um mundo melhor.

Com a finalidade de mudar a relação dos jovens com o dinheiro, o Colégio implantou aulas de educação financeira aos alunos do 2º ao 5º Ano do Ensino Fundamental.

Para a realização do curso, quatro apostilas sobre a educação financeira são utilizadas para apresentar aos alunos temas como a origem do dinheiro, guardar dinheiro no cofrinho, montar uma caderneta de poupança, evitar o desperdício de alimentos e colaborar na economia das contas da casa (água e energia). Os alunos serão levados a refletir sobre temáticas como a diferença entre valor e preço, diferenciar compras motivadas por necessidade ou consumismo e a importância de partilhar. Já no 5º ano, eles participarão de uma atividade de empreendedorismo, em que serão orientados a abrir e testar o funcionamento de sua própria empresa.

Há alguns anos trabalhamos com o projeto Jovem Empreendedor - Sebrae, tendo como objetivo incentivar o espírito empreendedor e a orientação para os negócios, e agora com a implantação do curso de educação financeira, temos a certeza que nossos alunos, no futuro, estarão prontos para obter o sucesso pessoal e profissional.

Hoje, em um mundo cada vez mais globalizado e principalmente conectado, as línguas estrangeiras tornaram-se uma das principais ferramentas para a comunicação em todos os tipos de atividades.

Aprender uma segunda ou terceira língua durante a primeira infância não só dá a oportunidade de a criança começar a aprender e ir se familiarizando com a nova língua, mas também gera benefícios que irão impactar de uma forma muito positiva em seu futuro.

Conheça alguns benefícios e vantagens:

  • Desenvolvimento cognitivo maior
  • Melhores habilidades de comunicação
  • A mente torna-se mais flexível e criativa
  • Melhora as habilidades de resolução de problemas
  • Melhor concentração e atenção seletiva

Por que seu filho deve aprender novas línguas?

Hoje as crianças devem ir além de aprender as disciplinas básicas ensinadas na escola, é necessário que elas possam expandir seus conhecimentos, aprender outra língua e ter contato com a pluralidade cultural.

Muitos pais acreditam que estudar uma segunda ou terceira língua ainda criança pode acabar confundindo a cabeça dos seus filhos, mas muito pelo contrário, ela terá uma melhor absorção e conhecimento, aprendendo a dominar a língua estudada com mais facilidade.

Estudos comprovam que o melhor momento para o seu filho estudar Inglês e espanhol é a partir do terceiro ano escolar, quando as crianças são altamente sensíveis às línguas e podem render mais rápido, quanto mais cedo o estudo da língua melhor será o seu domínio.

A razão para isso é que as crianças têm mentes mais flexíveis e abertas, por isso, quando expostas a um novo idioma acabam desenvolvendo mais sua agilidade linguística.

Além do aspecto cognitivo, quanto mais cedo a criança for exposta aos sons de uma língua estrangeira, mais possibilidades terá para incorporá-los no seu mecanismo de fala.

É neste primeiro estágio do aprendizado do inglês, espanhol, entre outras, que se estabelecem as fundações desse aprendizado, ou seja, a aquisição da língua, através de suas funções e vocábulos bem como seu aspecto cultural, para mais tarde formalizar este conhecimento com um aprofundamento nas estruturas e conceitos da língua.

A participação dos alunos em oficinas práticas oficinas práticas ajuda-os a desenvolver uma melhor disciplina, a tornar-se crítico quanto à atividade praticada, além de prepará-los para novos desafios. O Colégio trabalha a interdisciplinaridade vestibular com oficinas de Obras Literárias, Redação e Artes afim de desenvolver melhores habilidades lógica, cognitiva e crítica.

As atividades práticas de laboratório contribuem para o interesse e a aprendizagem em Ciências e Matemática, especialmente quando investigativas e problematizadoras. Atividades práticas objetivam elucidar as teorias aprendidas de forma visual e lúdica de maneira a fixar melhor o conteúdo ministrado em sala.

  • Jogos Teatrais
  • Slackline
  • Coral
  • Jazz
  • Tennis
  • Esgrima
  • Banda Rítmica
  • Capoeira
  • Futebol
  • Cheerleaders
  • Ballet
  • Handball

A robótica objetiva preparar crianças e jovens para atuarem de diferentes modos na pluralidade de torneios científicos e tecnológicos, bem como aqueles de robótica.

Deve ser entendido como um foro livre, em que a capacitação dos alunos possibilitará o desenvolvimento humano de forma holística, de modo que possam se enveredar pelo mundo maravilhoso das descobertas, invenções e inovações.

O foco encontra-se em fazer com que elas possam compreender melhor sua localização no mundo, importância na comunidade em que habitam, capacidade de realização e necessidade por uma sociedade mais equânime.

De modo amplo, os três grupos de concentração desenvolvem e exercitam a: cooperação, disciplina, empatia, envolvimento, imparcialidade, iniciativa, integração, julgamento, liderança, manutenção do diálogo, objetividade na argumentação, participação, prontidão para ouvir, receptividade e reconhecimento das próprias limitações.

Cadastro de interesse